• Ana Luiza Parente

Meu primeiro intercâmbio

Atualizado: 24 de Jul de 2019

Comecei minha jornada nômade em 2013, quando fiz intercâmbio de Au Pair nos EUA.


Para quem não conhece, o Au Pair é um programa de intercâmbio que você mora com uma família americana e trabalha de babá cuidando do filho deles. Você não paga aluguel nem refeições dentro de casa, ganha um salário semanal de no mínimo USD 195,75 por semana (no meu caso e em muitos, arredondam para USD 200,00), e eles também pagam sua passagem de ida e volta.

Comecei meu processo com 23 anos, em dezembro de 2012, e embarquei com 24 anos, em Julho de 2013. Tranquei a faculdade de Administração na UDESC e pedi demissão de um emprego fixo. Gosto de citar essa parte, pois sei que tem muita gente que pergunta “vale a pena trancar a faculdade para fazer intercâmbio?”, “estou em um emprego bom e estável, tenho medo de pedir demissão”. E isso é totalmente normal, eu também tive todas essas dúvidas na época. A verdade é que quando estamos em dúvida, na maioria das vezes o que nos prende é apenas o medo, porque nossa vontade a gente já sabe qual é.

Medo é normal, todo mundo tem, porém alguns vivem escravos dele, e outros conseguem se libertar. Depois que você dá o primeiro passo, seu medo vai ser outro, vai ser de um dia cair na zona de conforto de novo. E sinceramente, acho que isso não é possível depois que você experimenta a LIBERDADE de ser quem você é, de fazer o que você quer fazer, sem medo de julgamentos, sem medo do que os outros vão pensar, apenas sendo você e passando a sua verdade. Quando você faz isso, os caminhos se abrem! Lembrando que esse ano de 2019 é um ano regido por Marte: lute pelo o que você quer, vá atrás de seus sonhos. E Júpiter está em Sagitário: evolução pessoal, ótimo para expandir a consciência, seja através de um estudo acadêmico e/ou viagens.

O que te prende? Não, não venha me dizer “dinheiro”, se você ainda é uma daquelas pessoas que diz que para fazer intercâmbio ou viajar você precisa ter muito dinheiro, eu vou te dizer uma coisa, ou melhor, duas:

1) Meu investimento para fazer meu primeiro intercâmbio em 2013 foi de R$1.500,00. Sim, isso mesmo, mil e quinhentos reais! Com o aumento do dólar, hoje esse mesmo intercâmbio custa em torno de R$2.500,00. (Em 1 mês de trabalho lá nos EUA você já paga o que gastou).


2) Trabalhei em agência de viagens também, e existem muitas possibilidades de intercâmbio, vou passar uma média de valores de alguns tipos: 6 meses de curso de inglês na Irlanda, com 8 meses de visto de trabalho: em torno de R$9.000,00. Um mês de curso de inglês de férias, em vários lugares do mundo: em torno de R$5.000, R$6.000 com acomodação inclusa. Work & Travel nos EUA, programa de trabalho remunerado de 3 meses, em torno de R$7.000. A maioria dos valores podem ser parcelados em até 12 vezes, e dependendo do caso, até mais.


A primeira viagem que fiz de avião foi com 19 anos, quando eu ganhava R$300,00 por mês no meu primeiro emprego. Passei o ano todo economizando para ir para Bahia com uma amiga. kkk É só ter FOCO gente.


Então please, não me venha com dinheiro, talvez ORGANIZAÇÃO, isso sim. Um intercâmbio exige de você disciplina nas finanças. Existem tantas opções e tantos meios de pagamento também, pesquisem e entrem em contato com agências caso você ainda ache que o que te prende é o financeiro. (Se quiser sugestões e recomendações de agências, pode entrar em contato comigo.)


Além disso, existem também muitos hostels que trocam trabalho por acomodação em vários lugares do mundo e muitos aplicativos que te auxiliam nessas trocas também. Google it. :)


Voltando à minha experiência de Au Pair, meu ano foi em Collegeville, na Pensilvânia, um subúrbio americano, que era longe de tudo, porém eu tinha carro, então isso não foi problema. Morar com Host Family, na minha opinião, é uma experiência fantástica, seja através do au pair, seja porque você vai fazer 1 mês de curso fora, seja High School, seja em um intercâmbio para Irlanda, Austrália, etc. Claro, você tem que estar bem open e flexível para essa experiência, lembrando que você está levando consigo sua bagagem, sua cultura, sua língua, sua educação, e chegando lá, uma família com outra bagagem, outra cultura, outra língua e outra educação estará abrindo as portas da casa deles para você. Respeito e flexibilidade são fundamentais, tanto eles com você quanto você com eles. É uma troca muito rica.


Meu ano de Au Pair nos EUA foi maravilhoso. Eu nunca tive um sonho de conhecer os EUA, fui pela facilidade do intercâmbio e para aprender o inglês. E o país me surpreendeu! Cheio de belezas naturais e pessoas gentis. Mas, como todo país, tem também seus defeitos, claro, mas não tenho do que reclamar, me senti super bem-vinda nele. Minha Host Family me tratava como parte da família. Na época o menino que cuidei tinha 2 anos, hoje ele está com 8, e nesse ano de 2019, depois de 6 anos, fui visita-los!! É um vínculo que você cria para vida. “Ah mas é sempre assim?” Claro que não, porque cada família é uma família, cada pessoa é uma pessoa, cada relação é uma relação.


Minha intenção aqui é compartilhar minha experiência, mostrar os caminhos e inspirar aqueles que ainda se prendem por medo ou dinheiro. Não vou dar dicas específicas de cada lugar, pois isso já tem disponível em vários blogs incríveis de viagens. Vou passar alguns links que me auxiliaram e também compartilhar alguns valores de viagens que fiz.


Trips durante meu intercâmbio de Au Pair:


Washington DC (recomendo no outono, que é lindo): fiz essa trip no feriado de Thanksgiving, indo de ônibus pela Greyhound. Uma coisa legal de Washington DC é que muitos museus são gratuitos, e existem monumentos espalhados por toda cidade. Vale muito a pena conhecer a capital dos EUA!





Cruzeiro: fiz pela Carnival Cruise, no Natal de 2013, saindo de Miami, indo para Key West (Florida) e Cozumel (México). Paguei em torno de USD 150,00 pelo cruzeiro de 4 dias. Se liga na aventura: a passagem de avião da Pensilvânia para Miami estava mais cara que o cruzeiro, mais ou menos uns USD 500,00, e daí o que a gente faz? Partiu busão! Sim, eu e minha amiga fomos de ônibus, pela Greyhound, de Filadélfia para Miami, foi 1 dia e meio mais ou menos de viagem, mas pagamos USD 18,00 ida e volta!! Sim, 18 doletas ida e volta!!!!


Road Trip West Coast: fui nas férias de 2 semanas remuneradas que o Au Pair oferece, com meu ex namorado. Fizemos San Francisco, Los Angeles, Las Vegas, Canyon Antelope, Grand Canyon, Big Sur. A Costa Oeste é incrível, só vai!! Estradas de filme, o pôr do sol mais lindo da vida, e o melhor, você pode ter tudo em uma só trip: neve, deserto, praia, mar. Morei por 6 meses também em San Diego, mas essa história está em outro post. Uma coisa legal de citar também é que esse meu ex namorado depois da nossa trip voltou comigo para Pensilvânia e ficou hospedado na casa da minha Host Family por 1 semana. Por isso, nos casos de Au Pair, sempre digo para não se apegarem na cidade, eu fui parar em uma cidade de 3.000 habitantes na Pensilvânia, e meu ano foi mara. O importante é a Host Family, eles sim vão influenciar no seu ano, é com eles que você vai conviver. A minha HF abriu as portas da casa tanto para meu ex namorado quanto para meus tios que foram me visitar.


Orlando e Miami: Disney, Nasa, Universal. Aqueles passeios clichês e que valem muito a pena!! Despertamos nossa criança interior e nos divertimos com o clima da Florida. Fiz essa trip com minha mãe e meus tios, nos encontramos em Orlando. Minha HF me deu 1 semana de folga para eu poder ver minha mãe. (Mais uma vez, a importância da Host Family).




Boston e Salem: fui com mais 4 amigas, alugamos um carro e fomos passar um feriado lá. Época de primavera, estava lindo!! Boston é uma cidade de espírito universitário, cheia de história e cultura. Tem uma trilha pela cidade, ao ar livre mesmo, chamada “Freedom Trail”, que te leva nos principais pontos históricos.

Sobre Salem, quem não lembra do filme “Abracadabra”? Ah eu amava! E não poderia deixar de conhecer a cidade das bruxas né? Foi lá que o filme foi gravado, e a cidade tem uma vibe bruxônica muito massa. Museu das bruxas, casa das bruxas, muito legal de conhecer!! Fizemos um bate e volta de Boston.


New York City: da onde eu morava na Pensilvânia para NYC eram 2 horas de ônibus. Então eu ia bastante pra lá final de semana. NY é NY né gente? Sem muito o que falar, uma cidade que tem que se conhecer na vida.






New Jersey: minha HF tinha casa de praia em Ocean City, então fomos para lá no verão. Outro lugar que fui depois com algumas amigas foi Atlantic City, conhecida como a “mini Las Vegas” da costa leste. Famosa pelos cassinos.







Baltimore: aluguei um carro e fiz uma Day Trip com mais 2 amigas. Passeamos pela cidade e fomos no aquário, vale a pena conhecer.










Na Pensilvânia (PA), que foi onde morei, tem muitos lugares lindos ao redor para explorar. Para quem quer ir para lá, não pode deixar de conhecer Philadelphia, claro, mais conhecida por Philly, que foi a primeira capital dos EUA e traz com ela muita história e beleza.






Em PA também tem a fábrica e o parque da Hershey, pra quem gosta de montanha russa e chocolate, é um prato cheio!










E para finalizar, outro lugar que achei muito legal de conhecer em PA foi uma vila dos Amish, em Lancaster. É incrível ver como aquelas pessoas, em pleno ESTADOS UNIDOS DA AMERICA, ainda mantém os costumes e tradições, sem equipamentos eletrônicos, com suas próprias roupas tradicionais, vivendo uma vida do século XVIII em pleno século XXI.




Dica: muita gente também pergunta sobre como fazer amigos lá, já que vamos sozinhas, e meu grupo de amizades começou através de grupos no facebook "Grupão Au Pair, "Au Pair in Philadelphia", etc. Claro que não dá para se prender só nos grupos de Brasileiros, pois se seu objetivo é aprender inglês, tem que se envolver com pessoas de outros países. No meu caso, fiz amizade no meu curso de inglês com uma pessoa da Sérvia, sagitariana parceirona de viagens e somos amigas até hoje. Com certeza ela foi um ponto chave no desenvolvimento do meu inglês. Lembre-se: você pode ficar 1 ano lá fora, mas se andar só com brasileiros não vai aprender inglês, não é mágica. Inglês se aprende na rua, e não só na sala de aula.


E é isso minha gente, um resumão de todo aprendizado e experiência do meu primeiro intercâmbio internacional. Espero que sirva de inspiração para aqueles que só precisam de um incentivo!!

Aqui tenho um post que fiz quando voltei de outro intercâmbio em 2017 (escreverei sobre ele no próximo post), acho ele bem legal de ler :)


"Viajar te deixa sem palavras, e depois te transforma em um contador de histórias." :)



1 comentário
CONTATO

Endereço:

O mundo todo

​​

     +55 48 99192-8272​

analusparente@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© 2018 ~ 2019 astronômade

Todos os direitos reservados

amorosamente desenvolvido por bialthoff.com