• Ana Luiza Parente

As casas do Mapa Astral

Atualizado: 3 de Jun de 2019

Você sabia que o nosso mapa astral é formado de 12 casas astrológicas e que cada uma delas se refere a uma área específica da nossa vida?



Pois então!! Agora que vocês já sabem o que é o mapa astral, vou compartilhar aqui um resumo das definições de cada casa astrológica para que você, sozinho, consiga interpretar algumas tendências de comportamento e para conseguir fazer um auto estudo no seu dia a dia também. Porém, é de extrema importância lembrar que não devemos interpretar as informações aqui contidas de forma generalizada, ao pé da letra. Afinal, somos seres singulares. A leitura do mapa presencialmente, através da consulta astrológica se torna indispensável, pois assim analisamos todo o contexto do mapa, conforme seus aspectos, planetas, objetos, e também os fatores externos da vida de cada um.


E como faz para identificar as casas astrológicas? Segue abaixo um exemplo:



Tá vendo que no desenho existem 12 linhas numeradas de 1 a 12? Essas são as casas astrológicas.

No desenho, circulei em amarelo a cúspide da casa 1, que nada mais é do que aquela linha circulada: o signo que aquela linha corta é o signo da casa 1. No exemplo acima, a pessoa teria a Casa 1 em Áries. Se você não está acostumado com a simbologia dos signos, dá uma olhada nesse post. A casa 2 dessa pessoa seria em Touro (circulado em roxo), a Casa 3 em Gêmeos, e assim por diante.


As 12 casas astrológicas


A casa 1 é nosso ascendente, nossa personalidade para o mundo, como as pessoas nos veem. A nossa identidade em ação. O(s) signo(s) e o(s) planeta(s) que temos lá, falam da força e energia que temos para agir com autonomia, independência e liderança.


A casa 2 é a primeira casa relacionada ao trabalho (junto com as casas 6 e 10). Tem a ver com a maneira como produzimos nosso dinheiro e como gastamos também. Fala dos dons e habilidades que trazemos natural para gerar nossos recursos e sustento de vida. Ela também indica nossos valores, posses e segurança material.


A casa 3 associa-se ao convício social, escola, ensino, educação e trocas. Tem a ver com nossos irmãos, primos, tios e primeiras interações sociais na vida. Ela também influencia nas pequenas viagens, como os transportes diários e indica também como usamos nossa mente e como comunicamos nossos pensamentos.


A casa 4 é nosso Fundo do Céu, ela fala das nossas raízes, ancestrais, vida antiga, passado. Ela está relacionada às nossas memórias de nível emocional e da alma. O(s) signo(s) e planeta(s) que temos na casa 4 também indicam as tendências do lar que vamos construir, o local que moramos ou vamos morar. Eixo da casa 4 e 10: influência dos pais.


A casa 5 está ligada com a autoestima, autoconfiança e criações. Ela também tem a ver com a maneira como gostamos de passar nosso “time off”, como lazer, paixões e diversão, fazendo aquilo que amamos. O(s) signo(s) e planeta(s) na casa 5 também representam as energias que temos para criar, sejam filhos, projetos e/ou trabalhos.


A casa 6 é a segunda casa relacionada ao trabalho (junto com as casas 2 e 10), associando-se ao nosso dia a dia, rotina, hábitos e ambiente profissional. Ela também está relacionada a nossa saúde, afinal, quando não estamos em uma rotina saudável, isso vai refletir no nosso corpo físico. O(s) signo(s) e planeta(s) que temos lá vão indicar aspectos da nossa saúde, hábitos favoráveis para o bem estar físico e também quais as energias que fluem no nosso ambiente profissional.


A casa 7 representa nosso descendente. Está ligada ao casamento, parcerias, associações, elos e compromissos que fazemos na vida. O(s) signo(s) e planeta(s) que temos lá representam algumas características das pessoas com quem escolhemos nos relacionar e/ou as características que nos são despertadas ao nos relacionarmos com o outro.


A casa 8 está associada às transformações, à sexualidade e a morte. Fala daquilo que é oculto e misterioso. Tem a ver também com as heranças, aposentadorias, investimentos, reservas e recursos que ganhamos sem produzir, aquilo que o outro produziu e nos forneceu. O(s) signo(s) e planeta(s) que temos na casa 8 mostram como lidamos com as transformações na vida, como nos regeneramos e da necessidade de obtermos segurança emocional.


A casa 9 está associada aos estudos universitários, viagens longas, filosofia e religião. O(s) signo(s) e planeta(s) que temos nessa casa podem se referir aos assuntos acadêmicos que nos interessam, à vontade de expandir a consciência e desbravar novos horizontes. Fala da nossa visão sobre aproveitar o mundo, viver fora, aprofundar o conhecimento em algum assunto, e também da relação com nossos mestres, professores e vida acadêmica.


A casa 10 é o Meio do Céu. Ela é a terceira casa relacionada ao trabalho, representando nossa posição no mundo, carreira, status, papel social. É para onde queremos trilhar, nossa ambição, vocação e missão. É legal analisa-la junto com as outras duas casas do trabalho, casas 2 e 6.


A casa 11 pensa na coletividade, na sociedade e comunidade. Nessa casa temos a tarefa de construir um mundo melhor, mais justo. Ela está ligada ao voluntariado e aos projetos sociais. O(s) signo(s) e planeta(s) que temos nessa casa também indicam as energias que fluem em nosso ciclo social: amigos, clubes, academias, etc.


A casa 12 é a última casa do zodíaco, relacionada à espiritualidade, experiências místicas, medos e desafios. O(s) signo(s) e planeta(s) nessa casa indicam o impulso que temos de buscar a paz interior, o recolhimento e a devoção. São as energias que trazemos para liberar os fantasmas e atos passados. Simboliza o que está além da compreensão humana.


Você já aprendeu a fazer o Mapa Astral aqui e agora já conhece sobre todas as casas. Vamos desmistificar um pouquinho sobre os signos? Clica aqui e vem comigo!

CONTATO

Endereço:

O mundo todo

​​

     +55 48 99192-8272​

analusparente@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© 2018 ~ 2019 astronômade

Todos os direitos reservados

ÂME_STUDIO_oficial_BRANCO_E_COR.png

amorosamente desenvolvido por